"So I think It’s Time For Us to Have a Toast" – Kanye West (Runaway)

O Cactus Cultural adverte: Bionic pode causar dependência auditiva

Por Romulo Rodhrigues

A cantora Christina Aguilera disponibilizou seu último e ainda não lançado álbum Bionic para audição através de sua página oficial no Facebook e em algumas rádios online. Foi a alternativa encontrada por Aguilera depois do vazamento de seu disco na internet na última semana.

Agora vamos postar nossa crítica sobre Bionic.  Primeiro, não podemos deixar de lado um fato que tem chamado grande atenção nas últimas semanas: as comparações entre Christina e Lady Gaga. Desde o lançamento de Not Myself Tonight, clipe do primeiro single de Bionic, as críticas e comparações vieram em forma de avalanche. Cópia ou imitação do novo fenômeno pop do momento? Fãs das duas cantoras trocaram farpas no palco virtual. Aguilera foi obrigada a se pronunciar e se defender das críticas. O fato é que Not Myself Tonight é um vídeo cheio de referências à música pop e às divas do gênero. A grande homenageada do clipe foi Madonna, percebem-se apenas uma ou duas referências diretas à Lady Gaga e nada mais. O que vemos é uma persona extremamente sexual e fetichista.

Vamos então à crítica: são 18 faixas em 1 hora de um pop cheio de contrastes. Confesso que as colaborações feitas por Aguilera na produção de Bionic não saíram bem da forma como imaginei, já que esperava algo mais alternativo e cool. Mas o resultado foi um disco essencialmente pop. A cantora mergulhou de vez na sonoridade eletrônica e o resultado é um disco viciante e grudento. Seria Bionic a plenitude do gênero pop? Não exatamente, afinal o álbum não é um acerto total, mas atesta a evolução musical de Christina. Neste CD podem-se notar mais experimentações sonoras e inteligência musical. Mais uma vez a cantora reafirma seu grande talento como vocalista em músicas como Lift Me Up e You Lost Me. Bionic é multitemático, autocentrado, feminino, teatral, harajuku, digital. É divertido com Vanity, tocante com You Lost Me e chega até a ser cool com Elastic Love, de longe o maior acerto musical de Bionic. Potencial comercial o disco tem, resta saber se Aguilera ainda tem fôlego para a música pop comercial ou se pretende deixar essas questões da indústria fonográfica de lado.

Christina Aguilera fala sobre You Lost Me. Confira abaixo vídeo legendado:

Bionic se adapta bem em diferentes cenários: seja numa pista de dança ou numa festa; ginástica na academia ou no seu carro. Mas nem tudo em Bionic reluz: as músicas All I Need, I Am e Morning Dessert foram tiros na água!

Você pode ouvir o CD completo em: christinaaguilera.com

Resumindo: Bionic é um bom disco, competente e inteligente. Por isso merece 3 espinhos:

Comentários em: "Christina Aguilera se Reafirma em Disco Cheio de Contrastes" (1)

  1. […] inteligência. Aliás, foi isso que a cantora fez em sua colaboração com Christina Aguilera em Bionic, que resultou na música Elastic Love, uma das melhores desse álbum e uma das melhores do […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: