"So I think It’s Time For Us to Have a Toast" – Kanye West (Runaway)

Arquivo para agosto, 2010

10 Melhores Covers de Todos os Tempos!

De todos os tempos? Ops, é força do hábito. Mas, como esse blog é pretensioso, vai assim mesmo!


Hurt – Johnny Cash (Original: Nine Inch Nails)

Hurt – Johnny Cash

Johnny Cash transforma uma música lado B e underground (não é uma crítica) numa das mais emocionantes canções que você já ouviu. Hurt ganha ainda mais significado nessa cover, após a morte do cantor.

Hurt – Nine Inch Nails

My Way – Sex Pistols (Original: Frank Sinatra)

My Way – Sex Pistols

A versão dos Sex Pistols para o clássico de Sinatra pode até parecer uma heresia nesta lista, mas não é. Essa versão simboliza exatamente a essência do Punk Rock e desconstrói a versão original.

My Way – Frank Sinatra

Girls Just Wanna Have Fun – Cyndi Lauper (Original: Robert Hazard)

Girls Just Wanna Have Fun – Cindy Lauper

Só mais uma música comum na carreira de Robert Hazard. Simplesmente um dos maiores hinos oitentistas na versão de Cyndi Lauper!

Girls Just Wanna Have Fun – Robert Hazard

Hallelujah – Jeff Buckley (Original: Leonard Cohen)

Hallelujah – Jeff Buckley

Ambas as músicas são de uma beleza única. A versão de Buckley é mais despida e o refrão não tem o coral da música original (achamos melhor).

Hallelujah – Leonard Cohen

I Will Survive – Cake (Original: Gloria Gaynor)

I Will Survive – Cake

Uma das covers mais interessantes já feitas! O hino das pistas de dança (e dos gays) I Will Survive totalmente reciclado e repaginado na versão do Cake.

I Will Survive – Gloria Gaynor

Jolene – The White Stripes (Original: Dolly Parton)

Jolene – The White Stripes

Nos referimos à versão ao vivo de Jolene dos White Stripes, não que a de estúdio não seja boa, mas somente ao vivo Jack White consegue dar à canção toda a carga dramática que ela pede. Nos perguntamos porque a versão de estúdio não foi grava da assim!

Jolene – Dolly Parton

Respect – Aretha Franklin (Original: Otis Redding)

Respect – Atetha Franklin

Se Respect de Otis Redding já se tornou um clássico, a cover de Aretha Franklin supera a original.

Respect – Otis Redding

American Woman – Lenny Kravitz (Original: Guess Who)

American Woman – Lenny Kravitz

Do rock para o R&B/Pop: American Woman vale a pena tanto pela original quanto por esta cover, que acabou sendo a melhor música da carreira de Lenny Kravitz.

American Woman – The Guess Who

Cupid – Amy Winehouse (Original: Sam Cooke)

Cupid – Amy Winehouse

Aqui Amy Winehouse confere toda a sua personalidade a Cupid de Sam Cooke. Não supera a original, mas não tem essa intenção. Amy demonstra o verdadeiro sentido de uma cover: dar a sua versão para a música de outro artista. E que ótima versão! Mas recomendamos que ouçam a original, é muito boa.

Cupid – Sam Cooke

Lady Marmelade – Christina Aguilera, Pink, Mia e Lil’ Kim (Original: Patti LaBelle)

Lady Marmelade – Christina Aguilera, Pink, Mia e Lil’ Kim

A trilha sonora de Moulin Rouge se tornou uma das músicas pop mais famosas do mundo. A deliciosa orgia musical do quarteto pop reveste o hit de Patti LaBelle de brilho e plumas.

Lady Marmalade – Patti LaBelle

O Último Exorcismo: O Resgate dos Filmes de Possessão Demoníaca?

O filme estreou no último dia 27 de agosto nos Estados Unidos e chega dia 24 de setembro por aqui. Para abrir a coluna Trailetrizante, que vai sempre trazer um trailer especial toda semana, escolhemos O Último Exorcismo, que estreou cercado de expectativas nos EUA. Vamos ver o trailer?

O Último Exorcismo, Daniel Stamm (2010)

Após o clássico O Exorcista, instituiu-se na indústria do cinema americano um subgênero do terror: os filmes de possessão demoníaca. O próprio precursor do gênero provocou o nascimento de filmes diretamente derivados, como O Exorcista II: O Herege, O Exorcista III, O Exorcista: O Início e Domínio: Prequela de O Exorcista. Todos de qualidade muito inferior, que não chegam nem a fazer sombra para o original. Outros filmes inspirados foram lançados: Abby, Uma Noite Alucinante 1, 2, e 3, Amityville 2: A Possessão, A Queda, O Exorcismo de Emily Rose

O subgênero parece ser sempre um filão lucrativo do cinema de terror e tem fãs fiéis. E, agora em 2010, chega o Último Exorcismo e o que poderia ser mais uma tentativa fracassada e clichê parece ter conquistado público e crítica. O filme de Daniel Stamm foi gravado como se fosse um documentário e traz a história do último exorcismo (jura?) do reverendo Cotton Marcus, realizado numa área rural de Lousianna. A possuída em questão é Nell, filha adolescente de Louis Sweetzer, que chama o padre para tentar salvar a sua filha.

Promessas de cenas realistas são o chamariz principal do filme, que conta com uma fórmula mais batida que Romeu e Julieta. A mistura de documentário e ficção logo remetem ao excelente filme espanhol REC, que transforma um clichê num dos filmes mais interessantes dos últimos anos. Outras possíveis referências são: Atividade Paranormal e A Bruxa de Blair.

Tudo isso só demonstra uma coisa: o gênero dos filmes de terror precisa inovar e criar roteiros e abordagens mais inteligentes, para sua própria sobrevivência. Ok, qual gênero não precisa? Mas os filmes de terror têm a obrigação de serem mais ousados, essa deve ser a própria essência do gênero.

O Último Exorcismo logo tomou a dianteira nas bilheterias americanas, mas no último minuto, Takers acabou levando o número um. Foram $20,512,304 contra $20,366,613, quase um empate. Mas a verdade é que O Último Exorcismo ficou com a medalha de prata.

Klaxons: A Psicodelia Pop Espacial

Surfing The Void é um disco excitante e pretensiosamente alucinante

Depois de The Suburbs do Arcade Fire, chega às lojas mais um excelente álbum: Surfing The Void. E, na nossa avaliação, é simplesmente o disco de rock do ano!

Com seu segundo álbum de estúdio a banda, que viveu a pressão de superar o aclamado disco anterior, Myths Of The Near Future, embarca numa odisseia espacial em busca de inspiração e não poderia ter dado tão certo. Lembra Arctic Monkeys, só que melhor! Nos perdoem fãs de Arctic Monkeys, mas temos que dizer isso, apesar de também gostarmos da banda. A banda representa o New Rave, estilo musical que poderíamos resumir como a síntese de grande parte da música atual: (indie) rock, pop, música eletrônica, techno.

O som do Klaxons sempre remete a uma ideia de expansão, ir além e transcender e este novo disco trabalha com esses temas em suas letras e propõe uma viagem interplanetária, um tour por novas dimensões. Obviamente que somente através da sonoridade que essa intenção poderia se concretizar, uma vez que é o som que transmite as ideias contidas nas letras. E poucas vezes vemos um trabalho tão bem sucedido nesse sentido. É excitante, empolgante, alternativo sem deixar de se comunicar com o mainstream.

Ecos, O Mesmo Espaço, Surfando no Vácuo, Vales de Árvores Calmas, Venusia, Extra Astronômico, Chamas Gêmeas, Flashover (ignição súbita, ou seja, um processo de incêncio rápido e generalizado, para resumir o termo da Física), Memórias Futuras e Velocidade da Cifra. Sim, esses são os títulos das faixas traduzidos, ou, em alguns casos, uma tentativa de. O que só nos mostra os temas e as inspirações da banda.

As melhores faixas do álbum são: Echoes, Surfing The Void e Flashover, com lindas melodias e peso na medida certa. Ouça abaixo a excelente faixa-título do disco:

O melhor disco de rock de 2010 já foi lançado e, parabéns Klaxons! 2010 não seria a mesma coisa sem esse belo lançamento.

Katy Perry – Teenage Dream: Uma Repetição de Fórmulas

Katy Perry mantém o estilo de seu primeiro álbum e prefere não correr riscos

O segundo álbum de estúdio da cantora Katy Perry finalmente chega às lojas nesta semana. A cantora, que vem dominando as paradas de sucesso nos últimos meses, lança o álbum Teenage Dream e aposta em fórmulas repetidas. Katy mantém o estilo Lolita de One Of The Boys, além dos hits grudentos e cansativos. Mas há um porém: Teenage Dream consegue ser pior que One Of The Boys. Repleto de músicas descartáveis (alguns até podem pensar: o que no mundo pop não é descartável? Mas não é bem assim, ainda há sopros de criatividade na música pop), o álbum não traz o bom humor de músicas como Wakin’ Up In Vegas ou Hot ‘n’ Cold.

Caminhando num festival de superficialidades, Katy mergulha em temas como festa, relacionamentos, sexo e mais clichês. Talvez a única música realmente interessante do álbum seja California Gurls, há alguma coisa inteligente aí, talvez seja a inspiração nos Beach Boys. Mas o superhit se mostra ainda mais legal por causa do clipe, nada muito original, mas muito bem feito e lindíssimo.

Confira o clipe de California Gurls:

Outra música que também se salva é Firework, mas ainda não chega a ser nada espetacular. E é só. A música Peacock soa tão ridícula que seu significado em inglês é exatamente o que ela parece ser em português: uma música sobre o órgão sexual masculino (!). Teenage Dream carece de criatividade e falha ao repetir fórmulas do mundo pop e da própria Katy, como refrões repetitivos, ritmos fáceis e pegajosos.

Com medo de arriscar, Katy Perry se apega ao lugar comum e consegue se manter no topo das paradas de sucesso.

Um Guia Para “Scott Pilgrim Contra o Mundo”!

Tudo o que você precisa saber sobre o filme Scott Pilgrim!

Scott Pilgrim é uma adaptação da série em quadrinhos de mesmo nome, que conta a história de um jovem canadense, que é um herói desocupado e baixista de meio expediente que vive em Toronto, no Canadá, e toca na banda Sex Bob-omb. Pilgrim se apaixoma por uma garota americana, mas para ficar com ela, ele precisa derrotar os sete ex-namorados do mal dela.

O filme é, ao mesmo tempo, uma comédia/aventura/romance e outras coisas. A verdade é que Scott Pilgrim é cheio de referências e, por isso, vamos disponibilizar, aqui no Cactus, o guia elaborado pela revista Empire, para entender melhor o filme e identificar as referências.

A primeira grande referência está relacionada ao universo dos games. As influências são muitas, as mais perceptíveis são Double Dragon e Super Mario Brothers. Os famosos games da Nintendo! Uma das referências: a própria banda do Scott, Sex Bob-omb é o nome de um vilão do Super Mario.

John Hughes é um dos ícones dos anos 80, tendo dirigido filmes que marcaram a década, como Clube dos Cinco, Antes Só do que Mal Acompanhado e, principalmente, Curtindo A Vida Adoidado, com Mathew Broderick. Esses filmes são grandes influências para Edgar Wright e o personagem de Michael Cera parece ter o mesmo potencial icônico do Ferris Bueller de Mathew.

Bryan Lee O’Malley é o criador dos quadrinhos de Scott Pilgrim e uma de suas mais fortes influências vem dos mangás. E foi o mangá Beck (na imagem acima) de Harold Sakuishi que serviu de inspiração mais forte para O’Malley.

É claro que a música canadense não ficaria de fora dessas influências. Bryan Lee O’Malley é canadense e o nome Scott Pilgrim é derivado de uma música da banda indie Plumtree, do Canadá. A trilha sonora não poderia ter outra influência, né? As bandas Metric e Broken Social Scene estão na trilha do filme.

Para quem não conhece, Spaced é uma das séries de TV britânicas mais aclamadas e é do mesmo diretor de Scott Pilgrim, Edgar Wright. O ritmo acelerado e corrido do filme vem do estilo de Wright, conhecido através dessa série britânica.

Há uma sequência de luta no filme bastante complexa. E adivinha? Para filmá-la, Wright convocou os colaboradores dos filmes de Jackie Chan, Brad Allen e Peng Zhang.

“O jeito de fazer isso é fazer como se fosse um musical”. Foi isso que Edgar Wight disse ao jornal LA Times. Um dos elementos que produz os conflitos em Scott Pilgrim é examente a música, já que existe até uma banda no filme: a Sex Bob-omb.

O lado herói de Scott Pilgrim pode muito bem ser inspirado em Luke Skywalker, mas a influência de Star Wars é bem evidente, já que há uma cena de luta com espadas flamejantes no filme. Precisa dizer mais alguma coisa?

Nossa intenção era abraçar a pop art das histórias em quadrinhos, disse Edgar Wright. O visual não tem muito de O Cavaleiro das Trevas ou Sin City, e sim um senso de humor do Batman de Adam West, do Diabolik e do Flash Gordon.

A história de Scott Pilgrim se passa em Toronto, no Canadá. E, é claro, Edgar Wright filmou o longa na cidade canadense, apesar de a ideia de filmar em Nova York, por exemplo, ter sido cogitada.

 

Confira o trailer do filme e tente identificar algumas referências aos games:

Agora você já sabe o essencial para se preparar para o filme que já é considerado um dos mais cool dos últimos anos. Scott Pilgrim vs. The World chega ao Brasil em 22 de outubro, somente em São Paulo. O filme também está previsto para o Rio de Janeiro, mas ainda não se sabe a data. As outras capitais não terão Scott Pilgrim em seus cinemas.

Confira todos os pôsteres de Scott Pilgrim em nossa página! Clique AQUI!

 

FastFood: Seu Pitstop Quente de Notícias!

O Homem-Formiga, Belle & Sebastian, Noel Gallagher e o filme de Madonna




Um novo roteiro para o Homem-Formiga:

O super-herói da Marvel ganhará um filme só seu, com a direção de Edgar Wright, de Scott Pilgrim Contra o Mundo. O roteiro inicial foi descartado e será reescrito. A intenção é fazer do personagem Henry Pyn um agente secreto descolado. Apesar do super-herói fazer parte do time dos Vingadores da Marvel, ele não estará no filme de Joss Whedon.

Belle & Sebastian divulgam capa do novo álbum + prévia do novo single:

Acima você pode conferir a capa do mais novo álbum da banda Belle & Sebastian e, abaixo, ouça uma prévia do novo single divulgada hoje:

O álbum será lançado no dia 11 de outubro no Reino Unido, e dia 12 nos Estados Unidos.

Madonna está se dedicando completamente ao seu novo trabalho como diretora:

Parece que a dedicação da cantora é tanta que ela tem levado dias para filmas algumas cenas do seu novo filme, W.E. A cantora analisa cada tomada, o que acaba resultando em dias e dias trabalhando nas locações. A atriz Abbie Cornish que o diga: ela levou três horas para gravar uma cena de banho que terá 10 segundos de duração! O filme é sobre o romance entre o Rei Edward III e uma americana divorciada, Wallis Simpson. A história se passa em 1930.

Noel Gallagher vai entrar em estúdio!

Mas acalmem-se! O ex-guitarrista do Oasis irá colaborar com um músico, ainda não conhecido, o nome dele ainda é um mistério. Noel vai tocar bateria. Porém, o músico admitiu que já é alguém conhecido e que já teve uma ligação com ele no passado.

Fontes: NME e The Sun

As 10 Maiores Discípulas de Madonna

Saiba quais são as 10 cantoras que quase tiraram nota máxima no manual “Quero Ser Rainha do Pop”

A maior e mais influente artista feminina das últimas décadas não está no trono à toa. O símbolo da reinvenção, da sensualidade, do feminismo, da polêmica e, é claro, do talento, tem grandes discípulas e aspirantes ao trono. Mas saiba que cada uma dessas estrelas pop tem um pouco de Madonna, e mostram o quanto a rainha do pop ainda tem influência e será sempre a grande referência quando o assunto for música pop + mulher.

Assim como Madonna, Lady Gaga se tornou um ícone fashion e um referencial de moda. Não que as pessoas saiam por aí vestidas de Lady Gaga, mas é fato que o seu estilo é quase uma unanimidade no mundo da moda. Fica devendo exatamente no item abaixo: sensualidade.

Christina Aguilera transpira sensualidade e diretamente associamos a cantora à Madonna dos tempos de Erotica. Porém, a dirrty girl fica devendo quando o assunto é marketing e sua vida pessoal não é um prato cheio para a imprensa.

É impressionante como em pouco mais de 1 ano, Britney colecionou mais escândalos que Madonna em toda a sua carreira. Mas isso dá ibope! Ponto pra ela. Fica devendo em grandes performances.

Beyoncé em cima de um palco é o seu alter ego, Sasha Fierce. Sempre vem com performances de cair o queixo, sem falar nas coreografias incríveis. Mas fica devendo alguns escândalos e não é polêmica.

Assim como Madonna, Pink também assume posturas políticas e sociais. É vegetariana, luta pelos direitos dos animais… E quem não se lembra da música Dear Mr. President, em que ela ataca o ex-presidente americano George W. Bush? Mas fica devendo em sensualidade. Mas essa também não é muito a praia da Pink.

A cantora J-Lo começou sua carreira como atriz e partiu para o mundo da música. A carreira no cinema teve altos e baixos, como Selena (indicada ao Globo de Ouro) e Contato de Risco (venceu o Framboesa de Ouro como pior atriz). Entretanto, Lopez fica devendo no quesito “manter o sucesso mesmo com o passar do tempo”, afinal ela já não faz o mesmo sucesso que fazia há 10 anos.

Esta é a grande coincidência na carreira das duas cantoras. Enquanto Rihanna foi vítima de Chris Brown, Madonna sofreu agressões de Sean Penn. Rihanna foi assumindo um perfil mais down e obscuro, que não tem muito a ver com Madonna.

A cantora MIA mostra ter tanto ou mais talento até que a Rainha do Pop para fazer músicas e inovar. MIA mistura os ritmos eletrônicos como ninguém, mas Madonna já fazia isso no início do surgimento da música eletrônica. Fica devendo por fazer um som mais alternativo e não tão pop. Ok, isso não é um ponto negativo.

Com pouco tempo de carreira, Katy Perry já impressiona com tantos hits: I Kissed A Girl, Hot ‘n’ Cold, Wakin’ Up In Vegas e California Gurls. Lembra o início de carreira de Madonna. Mas não faz o estilo diva do pop.

Gwen Stefani não é o tipo de cantora conhecida por sua voz, ou por sua técnica musical, vejam só, igual a Madonna. Mas isso não a impede de fazer sucesso. Não é tão ousada e provocativa como Madonna.

Viram como não é fácil seguir a cartilha “Quero Ser Rainha do Pop”? Mas continuem meninas, vocês têm um longo caminho pela frente!

Confira a Galeria de Vídeos deste post! Clique na imagem ao lado!

Conheça o Humorista Eduardo Jericó!

Jericó é um dos destaques da Stand Up Comedy atual

Se você não conhece o humorista Eduardo Jericó, saiba que ele é hoje um dos grandes comediantes do gênero. No YouTube, ele tem um dos vídeos mais acessados do quadro Humor da Caneca, do Programa do Jô.

No dia 20 de agosto, quem estiver em Maricá/RJ ou próximo à cidade vai poder ter a chance de ver todo o talento do humorista de perto, que estará com o show 1000 watts. Eduardo terá o humorista Henrique Fedorowicz como convidado especial. Ficou curioso? Então assista ao vídeo de Eduardo Jericó no Programa do Jô:

Acompanhe o humorista na internet:

YouTube

Twitter

Mais informações: 21 2637 2181

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: