"So I think It’s Time For Us to Have a Toast" – Kanye West (Runaway)

Toda a música negra americana do século XX está reciclada em Janelle Monáe

Bom, antes de apresentá-la a vocês preciso me justificar: se o álbum The ArchAndroid foi lançado em abril, por que este blog só fala de Janelle Monáe agora? Nem eu sei bem o motivo, mas provavelmente foi por causa de vários outros lançamentos, que acabei dando mais atenção e deixei Janelle passar.

Mas sempre há tempo. Muitos ainda não conhecem Janelle Monáe. Pois saibam que depois do Grammy em janeiro, você ainda vai ouvir muito esse nome. Não tenho dúvidas de que ela deve ser uma das grandes premiadas. A cantora acaba de lançar o clipe do segundo single de seu álbum. Cold War é minimalista e simples, em que somente o rosto e as expressões de Monáe figuram no vídeo. Assista:

Que bela surpresa foi poder conhecer Janelle Monáe e seu The ArchAndroid em 2010! Um disco que beira a perfeição e encanta em diversos momentos. Janelle neste álbum encarna as grandes almas da música negra norte-americana: Jackson 5, James Brown, Billie Holiday, além de outros ícones do soul, do blues e do jazz. Pura ousadia, frescor e originalidade. Monáe explora nesse álbum todo o poder de sua voz, seja em músicas dançantes como o hit Tightrope, ou numa pegada mais rock ‘n’ roll em Come Alive (The War Of The Roses) ou na clássica e sofisticada BaBopByeYa, que aliás é a melhor música do álbum, impressiona e encanta. Janelle tem um timbre de voz que lembra o Michael Jackson dos tempos de Jackson 5, guardadas as devidas proporções. Apesar de todas essas influências e referências, a cantora soa extremamente original e nova.

Ouça abaixo à linda BaBopByeYa:

Assim como cantoras como Beyoncé e Christina Aguilera, Janelle Monáe também tem um alter ego musical, a Cindi Mayweather, o que podemos associar às performances um tanto estranhas de Monáe. Em 18 faixas de um disco baseado na ideia de androides humanizados, temos a sensação de não conseguirmos distinguir o clássico do moderno, o passado do futuro, razão e emoção em The ArchAndroid. Um dos melhores discos do ano!

Assista ao dançante clipe do primeiro single: Tightrope, junto com Big Boi:

Comentários em: "2010: O Ano Em Que o Mundo Descobriu Janelle Monáe" (2)

  1. Luciano disse:

    Cold War é igualzinho Nothing Compares 2 U da Sinead O’Connor, mas eu gostei.

  2. Luciano disse:

    Tightrope no remix ficou bem interessante.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: