"So I think It’s Time For Us to Have a Toast" – Kanye West (Runaway)

Por Nathielle Hó

Gilmore girls está na lista das minhas séries favoritas. Isso não é à toa. A série criada por Amy Sherman-Palladino, soube explorar de forma sensível o relacionamento entre mãe e filha, mesclando comédia com momentos de drama. O que existia entre Lorelai e Rory ia além da relação convencional materna, elas eram acima de tudo amigas e confidentes. As meninas Gilmore foram as protagonistas perfeitas. Lorelai é aquele personagem que todo mundo adora: apresenta um bom humor incontestável, é piadista, independente, decidida e simpática. Já Rory, é aquela menina-mulher tímida, mas que se mostra descontraída com as pessoas que conhece, ótima filha, neta carinhosa, amiga presente e ainda por cima é super estudiosa. O título Tal mãe, tal filha que a série ganhou no Brasil reflete bem a idéia que os telespectadores têm de Lorelai e Rory: elas eram extremamente parecidas – compartilhavam do mesmo vício pelo café em quantidade excessiva, faziam citações e referências culturais que só os mais próximos entendiam, seus diálogos eram inteligentes, rápidos e engraçados, e as duas comiam as guloseimas mais calóricas do reino do fast-food e mantinham aquele corpo de dar inveja. E acima de tudo, compartilhavam as alegrias e desventuras da vida.

Abaixo você pode ver um fanmade vídeo da série e recordar:

Tudo nessa série beira a perfeição. O próprio cenário, onde muitas das cenas foram rodadas, era genial. Stars Hollow, moradia das Gilmore, é aquela cidade que tem ares de interior e clima de outono. Aí todos se conhecem, se respeitam e de uma certa forma passam a fazer parte da família um do outro. Todos sabem da vida do vizinho – o que é inevitável numa cidade pequena. Tudo é decido de forma comunitária. E os moradores dessa cidadezinha de aparência pitoresca são ingredientes à parte. Kirk (estava em todos os lugares de Stars Hollow ao mesmo tempo), Babette (a vizinha prestativa), Miss Patty (dona do salão de dança mais glamouroso que se tem notícia), Taylor (o comandante do lugar, o careta, o politicamente correto, com as suas reuniões intermináveis e exaustivas em nome da história de Stars Hollow), e senhora Kim (dona do antiquário e mãe conservadora de Lane), são personagens com facetas interessantes e que tornam a série ainda mais divertida.

Adoro coreanos, então posso dizer sem sombra de dúvida que uma das personagens que eu mais admirava era a Lane. Ela conseguiu conservar sua identidade e gostos mesmo com a mãe durona e conservadora que tinha – a senhora Kim. Rory era cúmplice de Lane, melhores amigas elas compartilhavam segredos, exemplo disso, é que só Rory sabia que Lane era uma fanática por rock’n roll. Ao longo das sete temporadas, inclusive, a coreana monta uma banda, onde atua como baterista –  a Hep Alien. Lane é uma personagem especial para a autora Amy Sherman-Palladino, porque foi inspirada em sua melhor amiga. Outra dupla de amigas que eu adorava era Lorelai e Sookie. Elas eram companheiras, amigas que compartilhavam a vida profissional e pessoal e duas pessoas divertidíssimas. O hotel Independence Inn não seria o mesmo sem elas (Lorelai – a gerente, e Sookie – a cozinheira chef mais fofa do mundo) e o recepcionista francês Michel, personagem engraçado, um tanto quanto sarcástico que aparentava certa arrogância (ao longo da série vemos que isso é só a primeira impressão que se tem dele). Uma personagem que é a versão feminina de Michel é a Paris. Ela estudou com Rory em ChiltonYale. Paris era um tanto quanto briguenta, estava o tempo todo competindo com Rory. Mas no fim acaba nascendo uma bonita amizade entre elas. Com certeza, as amizades em Gilmore Girls era um dos pontos fortes da série.

Embora Gilmore Girls seja uma série que tenha como temas centrais questões femininas, os homens foram elementos importantes no desenrolar da trama. O que dizer do Luke? Dono da lanchonete em que as Gilmore iam, ele era a pessoa que sempre esteve presente na vida de Lorelai. Embora parecesse sério, às vezes irritadiço, Luke teve vários momentos marcantes, e era fato que ele terminaria ao lado da nossa musa. Um homem que colocou em cheque essa possibilidade foi o pai de Rory – Christopher. Ele aparece depois de um tempo e retoma o romance com Lorelai e a relação paternal com a filha. Mas o relacionamento com Lore não dura muito.  Eu diria que esses foram os dois homens mais marcantes na vida da senhora Gilmore, embora no decorrer da série ela tenha tido outros namorados.

Rory também teve vários relacionamentos e com jovens de personalidades bem distintas. O primeiro foi Dean, era como um “príncipe encantado”, carinhoso e atencioso, foi o primeiro amor de Rory. O segundo amor dela foi o rebelde sobrinho de Luke, Jess. Se por um lado ele não media as conseqüências dos seus atos e era arredio, por outro lado ele era admirável pela sua inteligência e por colocar fogo na sua relação com Rory. Por último, temos o mauricinho do Logan, que muda seu jeito de ser conforme seu relacionamento com Rory vai amadurecendo.

Mas o casal que eu achava o the best da série era EmilyRichard Gilmore. Ela uma dama, e ele um lorde. A série não seria a mesma sem esse casal de senhores charmosos e seus jantares às sextas, com a presença de Lorelai e Rory. Várias discussões, discordâncias entre Emily e Lorelai, a amizade e incentivo do senhor Richard para que Rory fosse para Yale, dentre outras coisas, aconteceram nestas sextas-feiras. O Casal Gilmore estava mais para protagonistas ao lado de Lorelai e Rory do que para coadjuvantes.

Gilmore Girls é uma série que eu vejo e revejo e não canso. E olha que são 7 temporadas, totalizando 153 episódios. Esse apego emocional por Gilmore Girls tem uma razão – essa série soube como nenhuma outra captar a essência das relações humanas em todos os âmbitos: familiar, romântico, amizade, trabalho e comunidade (vizinhança). Para embalar essa obra de arte só mesmo a trilha sonora de Sam Phillips. Reunindo canções tocadas durante as duas primeiras temporadas da série, o álbum Our Little Corner of the World: Música de Gilmore Girls foi lançado em 2002. É uma combinação de composições de Sam Phillips e de outros músicos. Também foi incluída no álbum uma nova versão de “Where You Lead I Will Follow You”, de Carole King e sua filha Louise Goffin, música que embala a abertura do seriado.

Ouça! Carole King & Louise Goffin – Where You Lead I Will Follow:

Quem já viu Gilmore Girls sabe do que eu estou falando, mas quem não viu, prepare-se para uma das mais maravilhosas experiências televisivas da sua vida!

Comentários em: "O Universo Encantador de Gilmore Girls" (6)

  1. Esse trecho diz tudo: “Gilmore Girls é uma série que eu vejo e revejo e não canso”. É exatamente o que acontece comigo! Não tem como assistir a um episódio e não ficar viciado nesse universo! É mágico! Uma das melhores séries de todos os tempos! O texto da Amy é genial e o elenco é único. Lembrança mais que merecida no blog!

  2. Ana Paula disse:

    Nathi
    Amo essa série e percebi que vc tb; rss.
    Assistia horas a fio; era dificílimo parar em apenas um episódio… acho que no fundo eu desejava morar em Stars Hollow. Realmente retrata uma diversidade de relacionamentos com os quais crescemos e nos desenvolvemos e numa linguagem inovadora nada piegas!!
    Os personagens que mais gosto além das principais mãe e filha são a Sokie; Lene e o louco do Kirk.
    Considero uma série especial e única; e olha que eu não sou muito fã de séries; mas essa eu amo!!
    bjoks

  3. Rodrigo Pinheiro Rocha disse:

    Nossa, Parabéns! Adorei o artigo, muito bom! Gostei bastante também da edição, uma materia bem clara e organizada. O blog está ótimo, vai para minha lista de favoritos, vou dá uma lidinha sempre que puder. E Gilmore Girls, umas minhas séries favoritas, é simplesmente uma das séries mais adoráveis que eu conheço. Adorei a homenagem!

  4. Nathália Rodrigues disse:

    Vc soube captar o espírito da série… Ficou ótimo!!!
    Bjs

  5. Andrea disse:

    Stars Hollow é uma cidadezinha do interior de meu coração, e nela vivem as pessoas especiais que eu amo!
    Amo essa série assisti ano após ano na TV aguardando semana após semana o próximo capítulo, chorando qdo elas choravam rindo qdo elas riam; vendo em minha própria família personagens parecidos com os da série. Sonhando um dia cruzar pela rua com a Lorelai ou com a Rory…
    É realmente impossível ver apenas um episódio e nao querer saber o que vai acontecer a seguir… Agora com o DVD então, vejo varios seguidos e nunca me canso, mesmo ja sabendo o que vai acontecer…
    Amo cada um dos personagens e queria muito ter sido amiga deles, mesmo que isso me custasse assistir as reuniões interminaveis do Taylor!!! (Que eram muito engraçadas)
    Parabéns pela escolha da série!!!
    Vou ver mais alguns episódios da série😀

  6. emilia disse:

    muuuuito legal esse artigo🙂
    Gilmore está no eu “topfive” de séries *—*
    a melhor que eu já vi . 😀

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: