"So I think It’s Time For Us to Have a Toast" – Kanye West (Runaway)

O filme é de 1972 e agora poderá estar ao alcance de todos

The Other Side of the Wind é o nome do filme e, de acordo com jornais britânicos, tem chances de ser lançado nos dias de hoje. O filme foi guardado e protegido durante todos esses anos, além de ter sido alvo de disputas de propriedade. Porém, as pendências legais parecem estar resolvidas. O advogado de Los Angeles, Kenneth Sidle, disse ao jornal britânico The Guardian que as negociações de lançamento estarão concluídas em breve.

Considerado uma obra-prima, The Other Side of the Wind só é tido como inacabado por um detalhe: ele não está editado. E uma das questões é justamente essa: se o filme deveria ser lançado como está ou passar por um processo de edição. A dúvida é compreensível, já que muitos consideram a obra uma relíquia. Grande parte das pessoas que trabalharam com Orson neste ou em outras produções defendem que o filme deve ser apresentado em estado bruto, sem edição.

O filme fala sobre as últimas horas de um velho diretor de cinema. Nas supostas próprias palavras de Welles:

“É sobre um diretor bastardo… cheio de si, que apanha pessoas e as cria e as destrói. É sobre nós, John.”

John é John Huston, um dos atores do filme. Ele descreve o filme como “absolutamente fascinante”. Françoise Widhoff, produtora que colaborou com Welles em Verdades e Mentiras, descreveu a obra como uma obra-prima:

“A forma como foi filmada, as representações. É muito moderno e livre.”

Orson Welles é considerado um dos maiores gênios do cinema de todos os tempos. Sua filmografia inclui obras-primas como A Marca da Maldade e Grilhões do Passado e aquele que é considerado o maior filme do século XX: Cidadão Kane.

A história conta como o repórter Jerry Thompson reconstitui a trajetória do empresário da imprensa Charles Foster Kane, buscando decifrar o significado de sua última palavra no leito de morte: “rosebud”. A morte de Kane comovera a nação e descobrir o porquê daquela palavra se torna uma obsessão para o jornalista, que acredita poder encontrar nela a chave do significado daquela vida atribulada.

[Fontes: Deadline e The Guardian]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: