"So I think It’s Time For Us to Have a Toast" – Kanye West (Runaway)

No novo álbum, Dave Grohl e companhia lançam a obra mais consistente de seus últimos anos de carreira


A partir do álbum In Your Honor, lançado 2005, o Foo Fighters não alcançava a performance de One By One e dos álbuns da década de 90. Tanto que em setembro de 2008, a banda anunciou uma pausa. Mas esta pausa não durou muito e no início de 2009, a banda já anuciou planos para um novo trabalho.

Justamente na volta de Pat Smear (2ª guitarra), a banda alcança novamente a sua melhor forma. O último trabalho de Smear com o Foo Fighters foi The Colour and the Shape. O guitarrista também participou de Skin And Bones, o álbum ao vivo da banda, já no retorno ao FF.

O resultado sai agora, em 2011, e a longa espera valeu a pena. Wasting Light é um ótimo disco, rock’n’roll ao melhor estilo Foo Fighters, um álbum cheio de hits em potencial. E um dos mais pop da banda também, trazendo refrões bem contruídos e ao bom e velho estilo sing-along, dos maiores hits do Foo Fighters. Recolhendo as cinzas, a abertura com Bridge Burning já é de tirar o fôlego, ainda mais sendo a melhor música do disco, dosando perfeitamente peso e cadência, um refrão envolvente e uma performance instrumental de altíssimo nível. Na sequência, Rope e mais uma incrível performance da banda, um refrão poderoso e arrebatador.

Dear Rosemary, a balada fofa do disco também não decepciona. Para levantar de novo, White Limo chega com a performance gutural de Dave Grohl e o ritmo acelerado da bateria de Taylor Hawkins. E quanto mais ouvimos o disco, temos a percepção de que qualquer música poderia virar single. Wasting Light é um raro disco em que todas as músicas funcionam. Dá pra destacar highlights, mas o disco todo é uma das mais bem feitas obras pop dentro do rock’n’roll dos últimos anos. Algo que só o Foo Fighters poderia mesmo lançar e levar o rock de volta às paradas de sucesso.

As paradas britânicas e americanas aguardam um bom desempenho de Wasting Light nas vendas. O disco foi oficialmente lançado em 12 de abril.

UPDATE: Foo Fighters destrona Adele nas paradas britânicas.

Voltando à audição: não podemos encerrar sem destacar o segundo ponto alto (entre vários) de Wasting Light: I Should Have Known. A música mais completa e redonda do álbum. Não digo a melhor, já que Bridge Burning é um soco no estômago arrebatador. Mas em termos de beleza, a penúltima faixa do álbum é imbatível, além de trazer toda a intensidade da banda.

Wasting Light é para fãs de rock’n’roll. Wasting Light é para trazer novos fãs ao rock’n’roll.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: