"So I think It’s Time For Us to Have a Toast" – Kanye West (Runaway)

Posts marcados ‘MIA’

Estreia! Assista ao novos clipes de M.I.A – XXXO e Illygirl!

Bem menos polêmico que Born Free, XXXO é a música mais pop do novo álbum da cantora

Sabe aqueles recadinhos supercafonas que você recebe no Orkut? Taí a inspiração da MIA em seu novo clipe. Lembrando que o novo álbum da cantora tem um tema voltado para o universo da internet, sua linguagem, seus temas e até ritmos e batidas.

Bem colorido, clima indiano, simples e superexagerado visualmente. Mas não é que ficou legal?! Sem falar que a música é muito boa, pop e criativa.

O ritmo frenético de Illygirl

Illygirl é freak e frenético, tudo a ver com a música. Nós do Cactus ficamos pensando: quanto será que a dona MIA gastou pra fazer esse clipe? E não chegamos a outra resposta senão nada! É a coisa mais simples que já vimos! Pelo menos a cantora é criativa, isso não dá pra negar. Aviso: o vídeo abaixo pode causar tontura e desconforto, mas recomendamos que assista.

MIA: O Monstro que Assombra Lady Gaga?

Por que a cantora MIA não pode nem ouvir falar o nome Lady Gaga?

Mais uma vez a cantora britânica MIA decidiu disparar contra Lady Gaga e sobrou até para a apresentadora Oprah Winfrey. O incidente aconteceu há 2 meses, na ocasião do Metropolitan Ball, evento beneficente que aconteceu em Nova York. Somente agora a cantora revelou a sua insatisfação em relação à apresentadora Oprah Winfrey, que disse em seu discurso no evento que Lady Gaga tem ajudado os americanos a “serem o melhor deles mesmos”.

E não é que a MIA ficou indignada com isso?

Há milhões de americanos que representam isso pra mim. É por causa de números? Da quantidade que se vende? Será realmente por causa da história de vida? Por que a de Lady Gaga não foi tão difícil assim: sair do Upper East Side para uma escola de artes e depois para um museu de onde quer que seja. É uma história de vida  bem fácil.

(palavrões omitidos nesta tradução)

Já sobre Oprah:

Ela parecia estar me ignorando, demonstrava estar realmente chateada comigo.

O fato é que já é pública há algum tempo a antipatia de MIA em relação à Lady Gaga:

Nenhuma de suas músicas reflete realmente o quanto ela quer ser estranha ou pensa que é. Ela se molda como Madonna e Grace Jones mas soa como um discoteca de Ibiza. Ela não é progressiva, mas é uma boa imitadora. Gaga tem talento e um ótimo staff por trás dela, mas é o último golpe da indústria para se fazer importante.

Veja o clipe de Paparazzi, da Lady Gaga:

MIA definitivamente parece ser uma das poucas (e ousadas) pessoas a desafiar o Gagaísmo, prática que hoje em dia pode ser comparada a duvidar da existência de Cristo nos tempos de inquisição.

Fonte: NME

/\/\/\Y/\: M.I.A multitemática, agressiva, rude e também suave

M.I.A.: entre exageros e boas surpresas em novo álbum

Por Romulo Rodhrigues

No quarto álbum de sua carreira, a cantora M.I.A. causa estranhamento e nos apresenta um disco cheio de nuances e ambiguidades. /\/\/\Y/\ é uma grande experimentação sonora, um passeio pela música eletrônica, o encontro entre a mulher e a máquina. Ruidoso, cheio de texturas, ritmos e variações. Um álbum eletronicamente superlativo. Nada do que eu disse até agora quer dizer que o disco seja maravilhosamente bom. E não é. No meio de todas essas experimentações sonoras M.I.A. chega a se perder algumas vezes, peca pelo exagero e falha. A faixa Steppin Up resume bem o que é esse novo álbum da cantora: uma profusão sonora de erros e acertos.

Veja o vídeo do primeiro single, Born Free (Atenção: há fortes cenas de violência):

M.I.A. transita sobre alguns temas em suas músicas, como internet (XXXO, Internet Connection) e liberdade e política (Born Free, Lovalot). Mas é o universo da internet que se faz mais presente nas músicas de /\/\/\Y/\, a começar pelo próprio nome do álbum como vocês podem ver. Quem ouve o disco pode perceber agressividade, confusão, beleza, originalidade… Tudo ao mesmo tempo. Talvez seja também por isso que o álbum careça de coerência harmônica e músicas como Born Free, Steppin Up e Meds and Feds causam mais incômodo e desconforto do que qualquer outra coisa. Tell Me Why é uma balada tranquila e envolvente. XXXO é a mais controversa do álbum: é aí que M.I.A. se aproxima da música pop, mas com inteligência. Aliás, foi isso que a cantora fez em sua colaboração com Christina Aguilera em Bionic, que resultou na música Elastic Love, uma das melhores desse álbum e uma das melhores do ano.

Elegendo a melhor música do álbum: It Takes A Muscle. É a mais equilibrada, tem uma mistura de ritmos que resulta num som agradável aos ouvidos. Merecem também serem ouvidas com carinho a balada Tell Me Why e a viciante XXXO. Entretanto, o disco deixa a desejar para quem conhece Arular e Kala.

It Takes a Muscle

XXXO



Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: