"So I think It’s Time For Us to Have a Toast" – Kanye West (Runaway)

Posts marcados ‘White Stripes’

Obrigado, White Stripes!

Uma das maiores bandas da última década chegou ao fim

O fim da banda foi enunciado em 2 de fevereiro de 2011. A notícia que os fãs mais temiam agora é oficial. Jack e Meg White não são mais os White Stripes. O afastamento contínuo de Jack e sua dedicação às suas outras bandas, The Raconteurs e Dead Weather, já davam um sinal do que poderia estar por vir. Foram 6 álbuns, 1 DVD/Documentário, 26 singles lançados, 5 Grammys, 5 VMAs, 1 EMA e 1 Brit Awards, entre outros. Os álbuns White Blood Cells e Seven Nation Army são sempre lembrados como dois dos melhores da primeira década do século 21.

Muitos pensam que o The White Stripes é apenas a genialidade de Jack White mas a química com Meg e sua bateria minimalista, crua e simples era única. Leia a mensagem deixada no site oficial da banda:

The White Stripes não pertence mais a Meg e Jack. The White Stripes agora pertence a você e você pode fazer o que quiser com ele. A beleza da arte e da música é que ela pode durar para sempre se as pessoas quiserem. Obrigado a vocês por compartilharem essa experiência. O envolvimento de vocês nunca estará perdido em nenhum de nós e estamos verdadeiramente agradecidos.

The White Stripes – Seven Nation Army

Nós é que agradecemos. Muito obrigado, White Stripes.

 

Anúncios

Jack White: o homem prodígio do Rock!

Três bandas incríveis e por trás delas, ou melhor, à frente, o maior músico da década: Jack White

Esse é o post inaugural da coluna Meus Favoritos, que vai trazer sempre um grande artista da música e do cinema para as linhas desse blog.

Não poderíamos escolher um músico melhor: Jack White, o melhor músico da década! Os anos 00 foram efervescentes para a música. Com a internet, milhares de bandas surgiram, fenômenos passageiros ou duradouros. Logo de cara surge o álbum White Blood Cells, considerado um dos melhores da década, junto com Whatever People Say I Am, That’s What I’m Not, do Arctic Monkeys e Is This It, dos Strokes. O primeiro single foi Hotel Yorba, mas o cartão de visitas da banda para o mundo foi Fell In Love With A Girl, com o incrível “clipe de animação em Lego” dirigido por Michel Gondry. O álbum seguinte foi ainda mais aclamado: Elephant. Seven Nation Army se tornou uma das grandes músicas do rock moderno.

Assista  a Fell In Love With A Girl:

O rock se pintava de vermelho e branco, conhecia a guitarra visceral e as interpretações vigorosas de John Anthony White, ou melhor, Jack White: um prodígio do rock e incansável musicmaker. Todas as qualidades de um gênio reunidas em um músico. Com o passar dos anos, suas inquietações foram ficando cada vez mais incontroláveis. Meg e Jack White já não eram suficientes para sua ânsia musical.

Então, Jack formou sua segunda banda: The Raconteurs, em 2005. Com um som menos pesado e mais cadenciado, a banda remete a um ameno e agradável verão no interior do Canadá.

Abaixo, The Raconteurs – Old Enough (ao vivo):

No meio disso tudo, Jack’s inquietação também o levou ao cinema, no filme é Cold Mountain, de Anthony Minghella (2003). Neste filme Jack interpreta Georgia, um tocador de bandolim. E a trilha sonora também conta com a participação do rockstar.

Get Behind Me Satan e Icky Thump são as obras seguintes dos White Stripes. A qualidade e a sonoridade da banda se mantêm, apesar das direfenças entre os trabalhos. Depois disso, Jack parte para um novo e diferente projeto: The Dead Weather. As guitarras e distorções dos White Stripes ainda mais intensas, uma sonoridade mais crua, simples e seca. Nessa banda, Jack divide os vocais com Alison Mosshart ( The Kills e Discount). O Dead Weather conta também com Dean Fertita (Queens of the Stone Age), guitarra e piano, e Jack Lawrence (The Raconteurs e The Greenhornes).

Veja o ótimo clipe de I Cut Like A Buffalo, versão britânica:

Um supergrupo com álbuns muito bem recebidos pela crítica: Horehound e Sea of Cowards, especialmente este último, lançado neste ano.

The White Stripes, banda pela qual tenho mais carinho, por ter sido a primeira (e também por gostar muito da Meg), recebereu um pouco mais de atenção em 2010. Jack chegou a dizer que trabalhar de novo com o White Stripes seria estranho… Mas que ele adoraria ter que conceber um novos WS. Ah, que bom! Para os fãs não ficarem mais uma ano sem a dupla, foi lançado em março desse ano, o filme Under Great White Northern Lights, um documentário e também o primeiro álbum ao vivo da banda. O filme é sobre a turnê de 2007 no Canadá e tem direção de Emmett Malloy.

Um hino da guitarra, Icky Thump:

Além disso, Jack pretende lançar um modelo de vinil inovador: uma edição especial do single Blue Blood Blues, do Dead Weather, virá em um disco de 12 polegadas que poderá ser aberto com um canivete. Dentro do disco, há um outro compacto, de 7″, contendo outra música inédita. Muito legal! A previsão de lançamento é para este mês de outubro.

Neste momento, o homem prodígio trabalha com a banda sueca Dungeon, para sua série de singles em vinil.

Alguém duvida que o Sr. Jack White é o maior artista da música atualmente? Com uma história dessa em apenas 10 anos, fica difícil não reconhecer o talento deste superartista.

10 Melhores Covers de Todos os Tempos!

De todos os tempos? Ops, é força do hábito. Mas, como esse blog é pretensioso, vai assim mesmo!


Hurt – Johnny Cash (Original: Nine Inch Nails)

Hurt – Johnny Cash

Johnny Cash transforma uma música lado B e underground (não é uma crítica) numa das mais emocionantes canções que você já ouviu. Hurt ganha ainda mais significado nessa cover, após a morte do cantor.

Hurt – Nine Inch Nails

My Way – Sex Pistols (Original: Frank Sinatra)

My Way – Sex Pistols

A versão dos Sex Pistols para o clássico de Sinatra pode até parecer uma heresia nesta lista, mas não é. Essa versão simboliza exatamente a essência do Punk Rock e desconstrói a versão original.

My Way – Frank Sinatra

Girls Just Wanna Have Fun – Cyndi Lauper (Original: Robert Hazard)

Girls Just Wanna Have Fun – Cindy Lauper

Só mais uma música comum na carreira de Robert Hazard. Simplesmente um dos maiores hinos oitentistas na versão de Cyndi Lauper!

Girls Just Wanna Have Fun – Robert Hazard

Hallelujah – Jeff Buckley (Original: Leonard Cohen)

Hallelujah – Jeff Buckley

Ambas as músicas são de uma beleza única. A versão de Buckley é mais despida e o refrão não tem o coral da música original (achamos melhor).

Hallelujah – Leonard Cohen

I Will Survive – Cake (Original: Gloria Gaynor)

I Will Survive – Cake

Uma das covers mais interessantes já feitas! O hino das pistas de dança (e dos gays) I Will Survive totalmente reciclado e repaginado na versão do Cake.

I Will Survive – Gloria Gaynor

Jolene – The White Stripes (Original: Dolly Parton)

Jolene – The White Stripes

Nos referimos à versão ao vivo de Jolene dos White Stripes, não que a de estúdio não seja boa, mas somente ao vivo Jack White consegue dar à canção toda a carga dramática que ela pede. Nos perguntamos porque a versão de estúdio não foi grava da assim!

Jolene – Dolly Parton

Respect – Aretha Franklin (Original: Otis Redding)

Respect – Atetha Franklin

Se Respect de Otis Redding já se tornou um clássico, a cover de Aretha Franklin supera a original.

Respect – Otis Redding

American Woman – Lenny Kravitz (Original: Guess Who)

American Woman – Lenny Kravitz

Do rock para o R&B/Pop: American Woman vale a pena tanto pela original quanto por esta cover, que acabou sendo a melhor música da carreira de Lenny Kravitz.

American Woman – The Guess Who

Cupid – Amy Winehouse (Original: Sam Cooke)

Cupid – Amy Winehouse

Aqui Amy Winehouse confere toda a sua personalidade a Cupid de Sam Cooke. Não supera a original, mas não tem essa intenção. Amy demonstra o verdadeiro sentido de uma cover: dar a sua versão para a música de outro artista. E que ótima versão! Mas recomendamos que ouçam a original, é muito boa.

Cupid – Sam Cooke

Lady Marmelade – Christina Aguilera, Pink, Mia e Lil’ Kim (Original: Patti LaBelle)

Lady Marmelade – Christina Aguilera, Pink, Mia e Lil’ Kim

A trilha sonora de Moulin Rouge se tornou uma das músicas pop mais famosas do mundo. A deliciosa orgia musical do quarteto pop reveste o hit de Patti LaBelle de brilho e plumas.

Lady Marmalade – Patti LaBelle

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: